A “Noiva Debaixo do Sol”.

Cantares 1:6a: “Não olheis para o eu ser morena; porque o sol resplandeceu sobre mim.”
Salomão sendo um pensador, um dia pensou consigo mesmo: eu preciso saber mais do meu povo, preciso andar por Jerusalém, preciso saber o que as pessoas pensam a meu respeito. Eu vou conhecer o povo disfarçado. Diz a história que Salomão manda tirarem as suas vestes reais, sua coroa e pede uma roupa simples de pastor de ovelhas. Dois sentinelas perguntam: onde vais pastor de ovelhas? E Salomão diz: Eu quero conhecer o reino do rei, e ele começa a conversar com o povo, fazendo um senso pessoal.
No final do dia, Salomão chega no lugar mais baixo do reino, chamado Lagar, aonde se pisava uvas para a confecção do melhor vinho que era mandado para o palácio do rei. Ele olha e vê sete torres e sete Atalaias com sete trombetas prontos para a batalha. Ele olha e vê as donzelas vestidas de branco, pisando as uvas. Salomão avista uma jovem formosa toda de branco e ele se apaixona por aquela donzela. Ele se aproxima dela e diz: Ei moça, me conte um segredo! E ela diz: “Não olheis para o eu ser morena, pois trabalho debaixo do sol para mandar vinho para a mesa do meu rei”.
Ele diz: moça me conte um segredo! Por que essas sete torres e sete Atalaias e suas trombetas de ouro? Ela responde: Essas sete trombetas estão aí por causa de uma promessa. O rei prometeu que um dia virá aqui no Lagar nos tirar do deserto, e Ele vai nos levar para o seu palácio. As trombetas estão aí, pois quando meu Rei voltar, elas irão começar a tocar, anunciando a sua chegada!!! Ele diz: Moça, me conte outro segredo! Eu vejo que você trabalha o dia todo nesse Lagar e sua roupa está branquinha, sem mancha. Por que suas vestes não estão sujas e manchadas? Ela responde: É porque eu trabalho todo dia esperando o rei voltar e toda tarde, eu desço lá no riacho e me lavo pra quando o Rei voltar, Ele não encontre manchas em minhas vestes.
Moça, agora eu vou lhe contar um segredo: Eu não sou pastor de ovelhas! E tirou a sua capa, e disse: Eu sou o teu Rei! Vim disfarçado de pastor de ovelhas e ninguém me reconheceu, mas tu me reconhecestes. Então eu te deixo uma promessa: Eu vou voltar para o meu palácio. Vou preparar um lugar pra você e vou voltar segunda vez, pra que aonde eu estiver, estejais vós também.
Com Jesus foi assim! Ele vai voltar e em sua coxa estará escrito: “Rei dos Reis e Senhor dos Senhores! “
Salomão teve muitas mulheres, mas ele amou uma única delas. Jesus tem muitas igrejas, mas apenas uma vai entrar no seu reino. “Não olheis para o eu ser morena, portanto estou debaixo do sol do deserto.” Muitas mulheres querem estar no palácio, mas a noiva de Cristo está no deserto, conquistando as vidas que faltam ser conquistadas. A igreja está no deserto, sofrendo com o sol causticante, dizendo tá difícil, mas estou esperando meu Rei voltar.
(Pisar uva não dá ibope, não dá mídia, não dá status e posição, não dá ascensão para o seu nome, apenas para o nome do Rei).
Pisar uvas é pra poucos. (OS MISSIONÁRIOS DESCONHECIDOS). DEUS SÓ LEVANTA, QUEM PISA UVA DEBAIXO DO SOL.
Muitas mulheres se casaram com o rei pra fazerem alianças políticas com Israel. As rainhas só queriam ficar no conforto do palácio, mas apenas uma preferia pisar uva no deserto. Muita rainha querendo sentar-se no trono e usar a coroa, mas a glória é só do Rei e Ele não a divide com ninguém. (Gente querendo a glória pra si dentro da igreja). Tem muita rainha querendo tomar a glória do Rei e aparecer mais que Ele.
Ninguém olha pro crente sem nome, que trabalha debaixo do sol. (O rei achou graça em você). DEUS ESTÁ NAS COISAS PEQUENAS! As concubinas sempre colocavam o rei em primeiro lugar. Hoje há uma inversão de valores. Estão fazendo o contrário. Igrejas colocando Jesus em segundo lugar.
Salomão chama seu serviçal e diz: Eu vou sair de novo do palácio. Ele trouxe novamente a roupa de pastor de ovelhas para o rei. Ele diz: Não, eu fui a primeira vez como pastor de ovelhas, agora eu vou voltar uma segunda vez diferente. Arruma uma roupa de rei, a minha melhor coroa… Salomão coloca a melhor roupa e sua melhor carruagem e começa a sair do palácio com (SEIS MIL HOMENS). Alguém pergunta: Que direção rei? Ele responde: Nós vamos lá no Lagar. – Mas Lagar não é lugar de rei! – Mas é o lugar da minha noiva! É onde ela está. Lugar de sol do deserto. – Mas o senhor vai buscar outra rainha? – Não! – Vai buscar outra concubina (virgem sem relacionamento e intimidade com o rei). – Não! Eu vou buscar a minha NOIVA!
De muito longe, as sete torres de Atalaias avistam o rei se aproximando e começam a tocar as trombetas anunciando a chegada do rei. Quando termina de tocar a sétima, a Sulamita pára de pisar uva e olha para as suas vestes, pra ver se estavam brancas e brada: “Ei-lo aí! Eis que ouço a voz do meu amado! O meu amado veio me buscar!” E Salomão olha, avista a noiva e grita: “Eis que ouço a voz da minha amada! Levanta amada minha! Já passou o inverno. O tempo de cantar chegou! Eis aqui o seu amado noivo!
VOCÊ ESTÁ PREPARADO(A)?
Maranata, Hosana nas alturas!
O Rei vêm aí! Ele Vêm aí!
ELE VÊM, ELE VÊM, ELE VÊM!

O Anticristo e a Nova Era.

“A Nova Era” é um termo usado para descrever um coquetel de práticas, filosofias e crenças fundamentadas no espiritualismo moderno, no humanismo secular e nas religiões místicas, vindas do Oriente.
Embora entrelaçada em todos os campos da atividade humana – literatura, música, teatro, filmes, novelas, terapias alternativas, educação, história em quadrinhos, horóscopos, cristais, pirâmides, ecologia e alimentação – a Nova Era é um movimento difícil de ser identificado. Isso porque não tem um corpo organizado, nem uma estrutura religiosa, nem princípios doutrinários escritos e nem segue um líder visível. No entanto, está em todas as partes, conquistando homens, mulheres, crianças, ateus, racionalistas, religiosos, donas de casa, empresários e profissionais liberais. A Nova Era tem atividades para todos os gostos e preferências. Cativa as crianças que ficam grudadas diante dos jogos eletrônicos ou diante da TV para assistir He-Man, She-ra ou Pokemon. Fascina os empresários com os seminários de auto-ajuda para seus empregados. E atrai a atenção da juventude com a meditação transcendental, as disciplinas orientais ou uma literatura aparentemente inofensiva como “Fernão Capelo Gaivota”.
A humanidade vive com medo, e essa é a razão do crescimento surpreendente que a Nova Era teve nos últimos anos. Há muita violência, sofrimento, exploração do ser humano por seu próprio semelhante. Há um vazio existencial cuja origem é ignorada conscientemente.
Há ocasiões em que você se sente tão deprimido, tão oco, tão rodeado de circunstâncias difíceis que não sabe para onde correr, nem onde se esconder. É aí que aparece a Nova Era, com a idéia maravilhosa de que você pode ser o Deus de seu próprio destino, porque existe uma energia ilimitada dentro de você. Você precisa descobrir o “Eu Superior” que dorme no seu interior. Se souber fazê-lo – afirmam os adeptos da Nova Era – não precisará mais do Deus apresentado pela Bíblia, já que Deus não passa de uma “Energia Superior” que pode estar em você, ou, na melhor das hipóteses, nos recursos da Natureza: no Sol, na Lua, nas estrelas ou nos cristais, nas pirâmides, ou simplesmente na terra, nas árvores e na água.
Mas o que tem tudo isto a ver com as profecias do Apocalipse? Voltemos novamente os olhos ao Jardim do Éden. Especificamente ao diálogo entre Eva e o demônio, disfarçado de serpente. Deus tinha advertido ao primeiro casal de que a vida deles dependeria da observância e obediência aos princípios de vida estabelecidos pelo Criador.
Leiamos em Gênesis 2, 16 e 17: “…De toda árvore do jardim comerás livremente, – tinha advertido o Criador – mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”.
Mas ali aparece a serpente e contradiz a advertência divina: Veja o que diz Gênesis 3, versos 4 e 5: “…É certo que não morrereis. – afirma – Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal”.
Nessa declaração histórica da serpente estão as verdadeiras raízes da Nova Era, que pode hoje se apresentar revestida de “solução” para o mundo desumano e violento em que vivemos, mas que, na realidade, só mudou de roupagem.
A resposta da serpente a Eva apresenta quatro dos vários fundamentos da Nova Era:
1. Não morrereis.
2. Se comerdes da árvore recebereis uma energia sem limite, e vossos olhos se abrirão.
3. Sereis como Deus.
4. Decidireis o que é certo e errado.
Deixaremos o primeiro fundamento – “Não morrereis” – para ser tratado num outro programa desta série.
Consideremos aqui os três últimos:
Sereis como Deus – A grande acusação de Satanás foi que Deus era injusto e, portanto, não merecia mais adoração nem obediência. “Eu posso ser Deus”, era a idéia de fundo. “Vote em mim. Eu posso liberá-lo de todas as imposições divinas”. E com esse tipo de campanha eleitoral, Lúcifer conseguiu enganar uma terça parte dos anjos. O profeta Isaías no capítulo 14, versos 13 e 14, dirige-se a Lúcifer com as seguintes palavras:
“Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono… subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo”.
Você percebe que a tese de Lúcifer era: “Não preciso de Deus porque eu posso ser Deus”? Ele começou assim, depois continuou tentando o ser humano com a fascinante idéia: “sereis como Deus”. Por algum motivo essa idéia foi muito desenvolvida no Oriente. Mas hoje chega com força ao Ocidente através de algo aparentemente inocente como a yoga. Os místicos orientais, entre eles os hindus e budistas, praticaram a yoga ou meditação transcendental durante séculos. O propósito da meditação é alcançar a “perfeição espiritual”, aquele estado espiritual “maravilhoso” denominado nirvana, “a suprema realidade”. Para alcançar o nirvana, a yoga ensina a alterar o estado mental, fugindo do mundo físico e juntando-se a Brahma (deus) com a possibilidade de tornar-se, por sua vez, um deus.
Eles ensinam que Deus é uma energia que pode estar em tudo. E, no momento em que você, através da meditação, consegue alcançar essa energia, passa a ser o deus de seu próprio destino.
Junto à meditação, a yoga usa muito os mantras, que são repetições constantes de sons que ajudam a entrar no estado do nirvana. A famosa atriz Shirley Maclaine, escreveu um livro onde afirma que o mantra que ela usa no seu hatha yoga é: “Eu sou o deus da luz”.
A yoga hoje está se tornando tão comum, que quase virou moda. Não é uma nova religião, é uma filosofia de vida. Você pode continuar com a sua religião e crendo no deus que quiser. Afinal de contas, se Deus é apenas uma energia superior e não um Deus pessoal, Ele pode estar em todas as partes do Universo e em forma de qualquer deus. E mais ainda: você pode alcançar esse estado superior ao longo dos anos e da prática da meditação.
Mas o anjo de Apocalipse disse em voz alta: Veja o capítulo 14, verso 7: “…Temei a Deus e dai-lhe glória… e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas”.
Este Deus não é apenas um deus energia; é um Deus pessoal; e a criatura nunca poderá tornar-se igual ao Deus. A Bíblia é contundente ao mencionar, em Isaías capítulo 55, verso 9, o seguinte: “Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos”.
O segundo argumento da Nova Era, apresentado por Lúcifer no Jardim do Éden, tinha como propósito tirar a atenção humana de Deus e direcioná-la para as coisas criadas. “Se comerdes” – disse a serpente – “vossos olhos se abrirão”. Em outras palavras Satanás estava querendo dizer que existia algo de mágico naquela árvore. Que ela teria uma energia especial e poderia ser a porta que conduziria o ser humano a uma esfera superior. “Esta é a chave de vosso desenvolvimento. Vossos olhos se abrirão”.
Parece-lhe estranho que hoje as pessoas busquem a solução de seus problemas nas pirâmides, nos cristais, nas pedras preciosas ou nos astros? Essa atitude se baseia na idéia de que “tudo” – pessoas, animais, plantas, objetos, estrelas ou planetas – enfim, tudo é apenas parte de uma unidade abrangente, impessoal e absoluta. Ninguém existe ou vive por si só. Tanto nós, quanto os cosmos, fazemos parte de uma “unidade absoluta”, denominada “consciência universal”, “energia vital universal”, “a força” ou, inclusive, “deus”. Dentro desse conceito, o bem-estar de todos depende de sua interligação com esse total energético absoluto, concentrado em algum elemento ou num peculiar centro de energia pessoal.
Mas a experiência mostra que, quando o ser humano tira os olhos de Deus e começa a concentrá-los nas coisas criadas, o resultado quase natural é o ocultismo, nas suas mais variadas formas.
Analise por exemplo um programa de TV que seus garotos assistem ou assistiam todo dia – “He-Man ou os Smurfies. O He-Man apresenta seres sobrenaturais, com características humanas. Esses seres se dividem em dois bandos: os maus e os bons. Cada episódio é um desfile de feitiçaria, magia e encantamentos. O He-Man tem seus amigos que são: Gorpo, um fantasma que usa capuz, fica suspenso no ar e pratica muitas mágicas; Pacato, o tigre que se transforma em Gato Guerreiro e a feiticeira bonita que pratica magia branca e se transforma em falcão.
Antigamente um adulto se assustava apenas com o ouvir a palavra magia ou feitiçaria. Mas a geração do He-Man, She-ra, os Smurfies, Guerra nas Estrelas ou os modernos jogos eletrônicos, aceita tudo isso como parte de seu cotidiano. Em nenhum episódio aparece Deus. Tudo que é preciso para resolver problemas é um pouco de energia cósmica ou alguns trabalhos de feitiçaria. As crianças crescem aceitando a feitiçaria, a vidência, e o ocultismo com a maior naturalidade. Em 1996, o garoto norte-americano Keith Flaig, de 14 anos, brincava no computador com o melhor amigo, Nicholas Watts, na cidade de Portland, quando, de repente, sem motivo nenhum, Keith rasgou com uma faca a garganta do amigo. Depois, o garoto pegou uma pistola calibre 20 e atirou contra a irmã e a mãe de Nicholas, e finalmente, suicidou-se.
Um jornalista disse que: “Antes de cometer toda esta barbaridade, Keith jogava ‘Hell’, game de ação com cenários assustadores. Um exemplo é o campo de punição, onde há pessoas queimadas e amarradas em estacas de madeira. A sala do dentista é pior. Em vez de aparelhos odontológicos, vêem-se serrotes, limas e uma cadeira de tortura. Na história, o jogador assume o papel de um casal que procura pistas para desvendar segredos de um ditador. É macabro. Foi depois de mergulhar nessa história perturbadora que o garoto Keith cometeu os terríveis homicídios.”
O terceiro argumento apresentado pela serpente foi que, ao abrir-se os olhos de Eva, ela passaria a ser quem determinaria o que é bom e o que é mau. E esta, talvez, seja uma das principais razões porque a Nova Era é tão fascinante. Ela dá ao indivíduo um sentido de autocontrole e de poder. Promete crescimento espiritual descobrindo o “eu superior”, e você passa a ser seu próprio deus. Ninguém tem o direito de impor qualquer tipo de moral a você. O que você decidir está certo.
Em março de 1989 por exemplo, descobriu-se que Ozel Tendzin, líder espiritual do ramo mais numeroso dos budistas tibetanos nos Estados Unidos, estava com AIDS. Foi um golpe tremendo para seus seguidores. Tendzin, cujas atividades homossexuais não eram segredo para ninguém, tinha sido contaminado, mas nunca o reconheceu, até que foi confrontado com seus parceiros -homens e mulheres – todos contaminados.
O que impressiona é que quando John Dart, editor da coluna de religião de “Los Angeles Times”, falou com Martin Janowitz, um dos líderes da organização de Tendzin, este respondeu: “Nós não temos dentro de nossa religião um conceito acerca de práticas sexuais, morais ou imorais. Nós não consideramos, como o fazem outras religiões, que as práticas homossexuais sejam pecado”.
Isto é “fascinante” para o ser humano. Você é “livre” para chamar ao mal, bem e ao bem, mal. Você determina o que é certo e errado. Não é extraordinário do ponto de vista humano?
Você percebe que o inimigo de Deus continua com a velha tese: “Não busque a solução de seus problemas em Deus. Busque-os dentro de você mesmo ou da Natureza”. E está conseguindo seu objetivo. Por incrível que pareça, está. Se você duvida, entre numa livraria e observe a enorme quantidade de livros esotéricos, de yoga, meditação transcendental, horóscopos e afins. Sente-se diante da TV e perceba a inúmera quantidade de filmes, novelas e programas que tem como tema central a reencarnação, o espiritismo e filosofias orientais.
Coincidência? Não. Tudo estava na profecia. Pouco antes da volta de Cristo, exatamente esse seria o pensamento da moda.
E você precisa estar avisado para fundamentar sua fé unicamente na Palavra de Deus.
Que Deus o abençoe.
 

A Grande Prostituta.

A Grande Prostituta

Ap 17:1-6 

Há uma mulher que aparece na passagem, e ela parece ser diabólica.
Satanás usaria uma mulher. Quem é essa mulher? E por que uma mulher?

Dentro do próprio Apocalipse, há uma outra mulher, que é chamada de esposa.
Por que essa mulher é esposa e a outra não?
Is 62:5 Porque, como o jovem se casa com a virgem, assim teus filhos se casarão contigo; e como o noivo se alegra da noiva, assim se alegrará de ti o teu Deus. 
2Co 11:2 Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. 
Essa mulher é uma igreja, e ela é uma esposa, por que é fiel ao seu marido.

Portanto, a mulher de Ap 17, representa também uma igreja, só que ela não é uma esposa – ela é uma prostituta – ela não tem fidelidade ao seu marido, ao contrário, ela se dá bem com todos os seus amantes e pagantes.
Então a prostituta é uma igreja, que Satanás usaria para ridicularizar na verdade.
E se Satanás usasse uma igreja para humilhar a verdade, como seria essa igreja?

Ap 17:4 E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas;
É descrito uma mulher rica, então, vemos que era uma igreja rica, muito rica.

Ap 17:4 ….e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; 
Por que ela tem um cálice? O que é um cálice?
Ap 16:19 E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande Babilônia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira. 
Cálice significa as coisas que serão dadas ou oferecidas para alguém.
Então, o cálice da prostituta representa o que ela oferece aos que a procuram, ou seja, como ela é uma igreja, esse cálice representa as doutrinas e os ensinamentos dessa igreja.
Ap 17:4 ….e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; 

No seu cálice havia 2 coisas – Abominação e imundícia da sua prostituição. O que é Abominação?
É aquilo que deveria ser rejeitado por ser impuro, reprovável, nojento, maldito.
Ap 21:27 E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. 
O verso diz que quem pratica abominação, não é salvo.
Podemos dizer então, que quem beber do cálice dessa mulher, não será salvo.
Dt 18:12 Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. 

Essa igreja, possui uma doutrina, que é abominável, que leva as pessoas a fugirem da verdade, fugirem dos mandamentos, mas de uma forma suave, tudo em nome de Deus.
Entendeu a estratégia inteligente de Satanás??

Ap 17:4 ….e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição;
O cálice também havia imundície O que é imundície?
Rm 1:24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; 
Imundície está ligado a todas as luxúrias e fornicações
2Co 7:1 Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo- nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. 

Há imundice da carne, e também a espiritual.
Mt 23:27 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.
Imundície espiritual está ligado a espiritualidade de aparência, e atuar politicamente criticando autoridades.
Ez 36:25 Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. 
Imundície espiritual está ligado a idolatria, ou, a “coração de pedra”, ausência de arrependimento ou seja – nas suas doutrinas, não é necessário arrepender-se, ou pelo menos, suas doutrinas impedem o arrependimento das pessoas.
Por exemplo, fazer as pessoas se emocionarem e falar enrolado, e depois mentir para elas, que aquela loucura foi o batismo com o Espírito Santo, e que agora elas são salvas.

Ap 17:4 ….e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; 
Veja que a imundície provem da prostituição dessa mulher.
Como seria a prostituição de uma igreja?
Se ela é uma prostituta, ela não tem fidelidade ao seu marido, ao contrário, ela se dá bem com todos os seus amantes, e com todos que a pagarem bem.
Também pode ser considerado que ela trocou a verdade pela mentira – prostituindo a verdade – enquanto a bíblia diz uma coisa, e essa igreja diz outra, esta igreja está prostituindo a verdade de Deus.
Prostituindo a Bíblia – Enquanto a Bíblia está escrito a mesma coisa há séculos, ela prostituiu a Bíblia, colocando outras coisas escritas a seu bel prazer na Bíblia, no lugar da Palavra de Deus.

Ap 17:6 E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. 
E por que essa mulher estava embriagada com o sangue dos santos??
Embriagues significa adversidade fruto do pecado.
Por que essa mulher, que é uma igreja, assassinou muitos cristãos.
O sangue desses cristãos foi derramado, por isso, essa mulher está embriagada com o sangue dos santos.

ONDE ESTÁ ESSA IGREJA?

Ap 17:3 E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. 
Ela estava montada em uma besta, com sete cabeças.
Ap 17:9 As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. 
Esta igreja possui sua sede principal em um lugar geográfico que possui sete montanhas.
Desde os tempos mais remotos, Roma é conhecida como “A Cidade das Sete Colinas”.
Portanto, esta igreja, está estabelecida em Roma.

A GRANDE MÃE

Ap 17:5 E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra. 
Observe que essa mulher tem o titulo de mãe.
Ela é mãe das prostituições e abominações da terra, prostituições espirituais – trocar a verdade pela mentira, e se vender para todos – e abominações espirituais – todo o tipo de doutrina falsa.
Como uma prostituta que se vende para todo o tipo de homem, ela também tem todo o tipo de filho. Então, se trata de uma “igreja-mãe”. Se é uma “igreja-mãe”, ela é mãe de várias outras igrejas, que sairam dela. Por serem filhos, até possuem outros nomes e aparencia diferente da mãe, mas seus frutos e prática são como as dela.

CONCLUSÃO

Satanás usaria esses movimentos, representados por uma igreja, para humilhar a verdade e joga-lá por terra. E por que uma igreja?
Essa é uma grande estratégia, por que se Satanás coloca uma igreja, e nessa igreja tem Bíblia, tem oração, tem cânticos, e tudo isso, as pessoas achariam que estão no lugar certo.
Há algumas pessoas que chegam ao ponto de dizer: Aonde falar de Deus, pra mim, tá bom!
Falou de Deus, amém!
É melhor tomar mais cuidado, pois a Bíblia, em Ap 17 diz que Satanás usaria uma mulher, que na profecia significa igreja.
Ap 18:4 E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. 

Que Deus nos abençoe!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑